DN
Drogaria Ultra Popular
RACISMO NA CAPITAL

Após agredir motorista, mulher se recusa a ser revistada por PM negra: "sou racista mesmo"

Ela foi detida por injúria mediante preconceito e lesão corporal.

06/11/2020 15h04
Por: Redação Canarana em Foco
Fonte: RDNews
Reprodução
Reprodução

Mulher de 28 anos se recusou a ser revistada por uma policial militar negra, em Cuiabá. Como justificativa, ela afirmou: “é por conta da sua cor”. Ela foi detida por injúria mediante preconceito e lesão corporal. O caso aconteceu na última terça (3), mas só veio a tona nesta quinta (5).

De acordo com o boletim de ocorrência, a suspeita entrou em um ônibus na avenida XV de Novembro, no bairro Porto. No entanto, não conseguiu passar pela catraca por não ter crédito em seu cartão.

Por este motivo, ela começou a xingar o motorista do veículo e o agerdiu com um tapa no rosto. A vítima, então, acionou a Polícia Militar (PM), que foi até o local. Foi nesse momento em que a mulher se recusou a ser revistada pela profissional. Ela foi detida e, na Central de Flagrantes, afirmou: “sou racista mesmo”.

Por meio de nota, o 1 ° Comando Regional repudiou veementemente toda e qualquer atitude de viés racista e discriminatória contra qualquer pessoa e também contra seus componentes. A instituição diz que trabalha para que seus policiais sejam capacitados a atuar de maneira legal, respeitosa e humana com todos e agir com rigor necessário contra ações dessa natureza, "que infelizmente ainda se pode testemunhar".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.