Casa velha popup
DN
VIOLÊNCIA EXTREMA

Assaltantes sequestram empresário, colocam de joelhos e executam com tiros na cabeça

Willis Antônio foi sequestrado quando trafegava, com a esposa, numa caminhonete S10 na zona rural de Araputanga; criminoso estão foragidos.

21/05/2021 12h06
Por: Redação Canarana em Foco
Fonte: RepórterMT
Reprodução
Reprodução

O dono de um lava-jato, Willis Antônio Santos Oliveira, 29 anos, foi assassinado a tiros na cabeça e morreu de joelhos em meio um pasto na noite dessa quinta-feira (20) em um sítio que fica cerca de 5 km da cidade de Araputanga (345 km da Capital).

Uma testemunha chegou ao Núcleo da Polícia Militar (PM) do município e relatou que na estrada encontrou uma mulher desesperada e pedindo socorro, pois, o marido dela tinha sido assassinado.

Uma guarnição se deslocou à região, encontrou a esposa de Willis, nome não divulgado, 28 anos, que estava em estado de choque e relatou os fatos.

Willis trafegava em uma caminhonete Chevrolet S10 com a esposa, porém, foram abordados por dois homens armados que chegaram numa motocicleta e anunciaram o assalto.

Os bandidos amarraram o casal e colocaram no banco de trás da caminhonete. Em seguida, de moto, um dos assassinos seguiu na frente, sentido Araputanga, e o comparsa conduzindo a S10.

Em determinado ponto do trajeto, os bandidos pararam, mandaram o casal descer, desamarraram a mulher e levaram Willis para o meio do pasto, onde mandaram a vítima se ajoelhar e atiraram pelo menos três vezes na cabeça dele.

Os bandidos roubaram a chave da caminhonete, os celulares do casal e uma joia. A caminhonete não levada.

A PM comunicou o fato à Delegacia de Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), responsáveis pelos procedimentos no andamento da ocorrência.

Em seguida, a guarnição militar saiu em patrulhamento pela região, mas não conseguiram encontrar os bandidos.

Os peritos analisaram as condições em que o corpo foi encontrado e ainda periciaram o local para coletar evidências que ajudem a determinar as circunstâncias do homicídio e identificar os assassinos.

Após os trabalhos, o cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML).

Ainda não há informações sobe o que teria motivado a execução.

Os investigadores escutaram a mulher de Willis, acompanharam o trabalho da perícia e deram início às investigações do caso.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.