Drogaria Ultra Popular
COMBUSTÍVEIS

Esquema que sonegou R$ 6 mi em MT tinha até "posto fantasma"

Empresas são acusadas de emitir notas fiscais referentes a vendas que nunca aconteceram

08/12/2020 14h46
Por: Redação Canarana em Foco
Fonte: Mídia News
Reprodução
Reprodução

A Secretaria Estado de Fazenda (Sefaz) identificou e desarticulou um esquema de fraudes tributária no setor de combustíveis em Mato Grosso.

O esquema envolvia transportadoras de cargas e postos de combustíveis que emitem notas fiscais frias, ou seja, que não correspondiam a determinada operação comercial.

A Secretaria de Estado de Fazenda não informou os nomes das empresas envolvidas.

Com base na investigação feita pelos fiscais de tributos estaduais, da Coordenadoria de Fiscalização de Combustível, Comércio e Serviços (CFCS), da Sefaz, as transportadoras teriam deixado de recolher cerca de R$ 6,5 milhões referentes ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) pela utilização de créditos "criados" de forma fraudulenta.

De acordo com a Superintendência de Fiscalização (Sufis), os postos emitiam notas fiscais referente a vendas de combustível que nunca aconteceram.

Com os documentos em mãos, transportadoras inseriam as informações tributárias dentro da sua contabilidade, diminuindo, de forma fraudulenta, o valor do ICMS a ser pago, assim como de outros impostos e contribuições federais.

No decorrer da ação fiscal, também foi identificado um posto de combustível “fantasma”, isto é, só existia no papel e era usado de maneira criminosa para emitir notas fiscais para documentar saídas de combustível.

Na prática, não havia estoque ou compra da mercadoria, evidenciando que se tratavam de emissão de documento fiscal em vendas fictícias, com o único objetivo de gerar créditos de ICMS e custos para não pagar impostos.

“A fraude ganhou proporções e acabou sendo identificada pelos indicadores de irregularidades fiscais da Sufis, sendo apontada como de alto risco de descumprimento. Os participantes do esquema, pela recorrência do esquema fraudulento, foram identificados pelos fiscais de tributos que, inclusive, desmascararam o modo de atuação e participação de cada um na fraude”, explica o superintendente de Fiscalização, Jose Carlos Bezerra Lima.

Penalidades

Diante das constatações de fraude, a Sefaz cassou a inscrição estadual do posto de combustível “fantasma” e suspendeu a inscrição estadual de outras empresas, evitando que continuem operando no estado.

Além disso, foram lavrados autos de infração em decorrência da fraude, por emissão de documento inidôneo, tanto para os postos de combustíveis quanto para as transportadoras que se beneficiaram desse esquema para sonegar o ICMS.

O total de autuações aplicadas às empresas envolvidas na fraude chegam a R$ 40 milhões, entre penalidades e impostos.

Para as transportadoras, além do aspecto fiscal, há também o criminal. Por isso, a Sefaz encaminhou à Delegacia Fazendária (Defaz) as informações para que se apure se houve ou não crimes contra a ordem tributária, por eventual participação das transportadoras para o esquema de fraude.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Canarana - MT
Atualizado às 20h43
25°
Pancada de chuva Máxima: 30° - Mínima: 20°
25°

Sensação

3.6 km/h

Vento

78.3%

Umidade

Fonte: Climatempo
AD Semi Jóias
Municípios
Últimas notícias
Mais lidas